Faça seu cartão de crédito Sorriden!

Embora seja fundamental cuidar da saúde bucal, o medo de dentista ainda é algo comum, tanto em crianças quanto em adultos — tanto é que existe até uma palavra para isso: odontofobia.

Se você é daqueles que sentem o famoso frio na barriga antes de entrar no consultório ou, até mesmo, passa noites em claro sabendo que o dia da consulta está chegando, não se preocupe. Saiba que seguindo algumas dicas e optando por um excelente profissional, é possível reverter essa situação — e é justamente sobre isso que falaremos neste artigo. Vamos lá?

Por que o medo de dentista é tão comum?

O desconhecido gera medo. Essa é uma frase que, nesta explicação, faz muito sentido. Será que vou passar por um procedimento doloroso e demorado? Será que o dentista vai precisar utilizar instrumentos como broca ou agulha?

Todos esses questionamentos são capazes de causar medo e ansiedade — muitas vezes, sobre algo que nem mesmo vai acontecer. Esse sentimento de impotência e falta de controle são os nossos principais inimigos nesse momento.

Além disso, o medo de dentista, assim como outras fobias específicas, pode ser o resultado de uma experiência negativa direta ou indireta. Em outras palavras, é possível que o paciente que tenha passado por um tratamento dentário, como canal da raiz, enchimento da cavidade ou extrações passe a sentir receio em voltar a se consultar com esse profissional.

As pessoas que sentem medo de agulha também estão bastante propensas a sentir medo de dentista. Nesses casos, elas antecipam que esse instrumento fará parte da consulta e, por isso, são tomadas pela ansiedade sem nem ao menos saber se ela será necessária. ​

E por que isso pode ser um problema?​

A odontofobia pode até ser uma condição comum, contudo, suas consequências não devem ser ignoradas. De acordo com uma pesquisa norueguesa publicada na revista Community Dentistry and Oral Epidemology, pessoas que sofrem com esse problema estão mais propensas a apresentar incidência de cáries, tártaro, gengivite, perda de dentes e abcessos de forma nitidamente superior.

A pesquisa também confirmou uma progressão linear já previsível: quanto maior o medo de dentista, maior a tendência em desmarcar e adiar as consultas — aumentando, assim, as chances de consequências negativas para a saúde bucal. Ou seja, a possibilidade de o paciente ter que passar por um procedimento mais complicado (e que poderia ser evitado) são maiores.

Como acabar com o medo de dentista?

1. Descubra a origem do seu medo

Para reverter esse quadro desde a raiz, é preciso entender o que você tanto teme. Trata-se de uma preocupação real ou gerada por aquilo que você ouve de terceiros? Descobrir os motivos do seu medo antes de marcar uma próxima consulta é fundamental, uma vez que, será por meio dele que o problema começará a ser resolvido e você poderá tomar medidas proativas para superá-lo. ​

Para começar, tente pensar nas experiências específicas que podem ter contribuído para o seu medo de dentista. Pode ser que você tenha passado por um tratamento de canal bastante doloroso. Se não conseguir identificar uma experiência negativa que pode ser a fonte do seu medo, pode ser que ele tenha sido causado por histórias de amigos e familiares que passaram por experiências ruins.

Em ambos os casos, tente reconhecer que os tratamentos odontológicos se modificaram muito (e para melhor) nos últimos anos — e isso pode ajudá-lo a aliviar o seu medo. Tenha em mente que aquelas brocas medievais e agulhas imensas já ficaram no passado. Nesse sentido, lembre-se de que existem muitos métodos inovadores para o tratamento de problemas dentários, como a remoção da área infectada por meio do laser.

2. Escolha o profissional certo para você

É muito importante se consultar com um profissional de sua confiança, principalmente se você já passou por alguma experiência desagradável em algum tratamento odontológico. Para ajudar a reverter a odontofobia, tente procurar por um especialista com o qual você se sinta mais à vontade e que lhe permita expressar seus medos e ansiedades.

Ao marcar uma consulta com um dentista, veja se ele é simpático e receptivo ou se tende a ser mais frio e clínico — o que pode não ser muito bom para o seu quadro ou, até mesmo, piorar quaisquer medos que você possa ter. Outra boa maneira de encontrar um bom profissional é pedindo indicações de amigos ou familiares ou lendo comentários sobre ele na internet ou em revistas médicas.

3. Converse com o seu dentista

Assim como é importante encontrar um dentista com o qual você se sente confiante e à vontade para expressar suas inseguranças, é fundamental abrir o diálogo com esse profissional sobre todas as informações referentes ao seu tratamento. Caso isso lhe deixe mais confortável, peça a ele que explique o passo a passo do que será feito — o que ajuda a eliminar o medo do desconhecido sobre o qual já falamos.

A base de qualquer bom relacionamento é uma comunicação eficaz, e isso não poderia ser diferente na relação entre dentista e paciente. Falar com o profissional antes, depois e até mesmo durante os procedimentos é algo que pode lhe ajudar na redução de seus medos e no alívio da tensão. Nos dias de hoje, muitos dentistas já estão preparados para lidar com questões como essas.

Além disso, caso não se sinta confortável com qualquer coisa durante o tratamento, combine com seu dentista algum sinal para que ele possa parar, permitindo que você se acalme um pouco. O fato de ter controle sobre a situação é um grande aliado no combate ao medo.

4. Relaxe

Nossa última dica pode até parecer corriqueira, mas é algo que certamente vai lhe ajudar a ter uma experiência mais agradável e superar seu medo de dentista. É fato que muitos profissionais sugerem o uso de óxido nitroso ou medicamentos para ajudá-lo a relaxar. Contudo, muitas vezes, adotar técnicas de relaxamento como exercícios de respiração podem ajudar (e muito).

Para tanto, comece respirando ritmicamente a uma contagem de 4 segundos para inspiração e 4 segundos para expiração. Você pode, inclusive, mentalizar frases como “vai passar” enquanto executa o exercício de respiração, ajudando sua mente a se liberta do medo.

Como você pode perceber, embora o medo de dentista seja bastante comum, é possível controlá-lo e reverter a situação. Coloque em prática as dicas reunidas neste artigo e lembre-se de que, acima de tudo, é fundamental cuidar da saúde bucal e se consultar com esse profissional com frequência — dessa forma, qualquer condição pode ser tratada logo de início, evitando a necessidade de procedimentos complicados.

E então, gostou das dicas que trouxemos neste post? Para continuar por dentro de conteúdos como este, curta agora mesmo a nossa página no Facebook. Até a próxima!

Blog Sorriden: dicas de saúde bucal


17 de setembro de 2021 | Saúde Bucal

Não sabe como melhorar o hálito? Confira 4 melhores formas!

Você sabe como melhorar o hálito? Ter mau hálito é uma situação desagradável que pode ser muito constrangedora […]


26 de agosto de 2021 | Saúde Bucal

O aparelho ortodôntico para crianças vale a pena? Descubra!

Um assunto muito comum e que gera dúvidas em mães e pais é o aparelho ortodôntico para crianças. […]


12 de agosto de 2021 | Saúde Bucal

Confira 5 dicas para perder a vergonha de ir ao dentista!

Por diversos motivos, as pessoas precisam realizar consultas odontológicas, no entanto alguns obstáculos impedem ou reduzem as chances […]

Acesse o Blog

Realize sua pesquisa