São Paulo - Capital
(11) 3181-9060
Demais Localidades 0800 444 0800

Está com sangramento da gengiva? Descubra 5 possíveis causas

Mantenha sua saúde e sorriso em dia de maneira ainda mais simples e prática.

Header

Os cuidados com a saúde bucal envolvem muito mais do que a limpeza dos dentes. Claro que um sorriso bonito e alinhado é importante, mas é preciso cuidar bem de todo o conjunto para não ser afetado por sintomas indesejáveis — como o sangramento da gengiva. Embora se trate de um problema relativamente comum, em alguns casos, ele indica algo mais grave. Justamente por isso, deve ser tratado logo após ser notado.

Para ajudar você a entender melhor sobre o assunto, listamos neste post as cinco causas mais frequentes do sangramento da gengiva. Além disso, abordamos as opções de tratamento e a importância de procurar um dentista de confiança para reverter a situação. Ficou interessado? Então, confira!

O que significa o sangramento da gengiva?

Notou o sangramento gengival ao escovar os dentes, passar o fio dental ou tocar a região? Além de uma experiência desagradável, esse é um sinal de que a gengiva não está tão saudável como deveria. Nessa situação, um equívoco recorrente é pensar que o problema se resolverá sozinho, sem a necessidade de procurar um dentista para fazer o tratamento da condição.

Diante disso, é fundamental destacar que o sangramento da gengiva pode tanto ser causado por simples hábitos inadequados de escovação quanto por condições de saúde mais graves e ter ciência do quadro a tempo faz toda a diferença.

Além disso, esse sintoma geralmente aparece no início de uma infecção (gengivite) que, se não for tratada rápido, pode evoluir para a periodontite, que não tem cura. Por isso a importância de agir preventiva e proativamente.

Quais são as principais causas dessa condição?

1. Escovação inadequada

A escovação inadequada dos dentes, ou seja, realizada com muita força, pode causar lesões e acarretar o sangramento da gengiva. Com medo de agravar o sintoma, é comum que a pessoa afetada tenha receio de realizar uma higienização completa — abrindo a porta para inflamações como a gengivite e outras condições provocadas pela ausência da saúde bucal.

Desse modo, a avaliação do dentista é fundamental. Caso o problema seja realmente a má escovação, esse profissional será capaz de ensinar ao paciente as melhores formas de higienizar os dentes e a boca sem causar lesões.

2. Uso incorreto do fio dental

O uso incorreto do fio dental é outra causa muito comum do sangramento da gengiva. Essa ferramenta, desenvolvida para ajudar nos cuidados com a higiene bucal, não deve, de forma alguma, causar lesões durante a sua utilização. Por isso, não se engane pensando que se trata de algo normal.

Observe se você está passando o fio dental de modo adequado: é preciso enrolar cerca de 40 centímetros do fio, segurá-lo entre os dedos polegares e indicadores de cada mão e deslizá-lo por meio de movimentos suaves entre a dentição. Em seguida, é necessário passá-lo cuidadosamente na base de cada dente, aproximando-o da gengiva, mas sem forçar. Caso ainda esteja com dúvidas, procurar o auxílio de um dentista é sempre uma boa pedida.

3. Falta de vitaminas

Não é segredo nenhum que uma dieta equilibrada, que preza pelo consumo de nutrientes e minerais, é essencial para o bom funcionamento do organismo. Por consequência, a ausência dessas substâncias pode acarretar problemas que afetam tanto a saúde do corpo quanto a bucal.

A carência de vitamina C, por exemplo, pode provocar sangramento da gengiva e evoluir para um quadro de gengivite quando o sintoma não é tratado. Além disso, essa substância é uma grande aliada para reparar ossos, cartilagens e dentes. O mesmo acontece quando há níveis baixos de vitamina K no organismo — que pode ser sinal de uma deficiência na coagulação do sangue.

4. Gengivite e periodontite

A gengivite é uma inflamação na gengiva causada pelo acúmulo de tártaro na região. Caso essa placa bacteriana não seja removida a tempo pelo dentista, pode evoluir para um quadro de periodontite, que prejudica o tecido e os ossos que suportam os dentes. Quando não tratada, essa última condição pode levar até mesmo à perda dentária.

Sendo assim, não encare o sangramento da gengiva como algo normal. Ele pode ser um sinal de inflamação na região e é fundamental procurar ajuda especializada para melhorar as chances de recuperação.

5. Condições mais graves de saúde

Algumas doenças graves têm problemas bucais entre os seus sintomas. São elas:

  • diabetes mellitus — o paciente pode apresentar sintomas como diminuição do fluxo de saliva, queimação na língua e boca, além de gengivas inchadas e com sangramento;

  • infecção pelo vírus do HIV — os sangramentos gengivais são mais intensos em pacientes soropositivos, portanto, as visitas frequentes ao dentista são cruciais para evitar o acúmulo da placa bacteriana;

  • leucemia — por causa do baixo número de plaquetas no sangue, os pacientes com leucemia estão mais sujeitos a hemorragias e sangramento da gengiva.

Lembre-se de que, nesses casos, o sangramento da gengiva não é um sintoma isolado. Por isso, antes de se autodiagnosticar, o mais indicado é procurar um dentista e um médico para a avaliação completa de todas as manifestações.

Quais são as opções de tratamento para o sangramento da gengiva?

Como existem várias causas para o sangramento da gengiva, cada qual com as suas particularidades, somente um dentista poderá avaliar o problema e chegar ao diagnóstico adequado, apresentando, assim, as opções indicadas para reverter o quadro. No caso de infecções, por exemplo, a prescrição de medicamentos pode ser necessária, cabendo ao profissional indicar ao paciente a dosagem correta, bem como a duração do tratamento.

Essas foram as cinco principais causas do sangramento da gengiva. O mais importante é que, após perceber o primeiro sinal do problema, um dentista de confiança deve ser procurado. Desse modo, é possível não só tratar o problema, mas também evitar que ele evolua para algo mais grave e complexo. Lembre-se de que, quando o assunto é saúde bucal, a prevenção faz toda a diferença!

Gostou das dicas deste post? Então, aproveite que está aqui e confira o nosso próximo conteúdo. Nele, falaremos sobre as causas e tratamentos para a sensibilidade nos dentes. Esperamos você lá!