São Paulo - Capital
(11) 3181-9060
Demais Localidades 0800 444 0800

Tire 5 dúvidas sobre a dor de dente na gravidez

Mantenha sua saúde e sorriso em dia de maneira ainda mais simples e prática.

Header

Você sabia que a dor de dente na gravidez é um problema comum e costuma ocorrer até mesmo em quem tem a saúde bucal em dia? Isso acontece, em especial, porque nesse período a alteração hormonal da mulher é considerável.

O aumento de hormônios influencia a sensibilidade da gestante e faz com que dores em regiões frágeis, como os nervos da boca e a gengiva, sejam mais incômodas.

Infelizmente, o problema pode surgir de uma hora para a outra, com uma duração que pode se estender de algumas horas a alguns dias. No post de hoje, vamos responder as quatro principais dúvidas sobre dor de dente na gravidez. Confira!

1. Quais são as causas da dor de dente na gravidez?

Apesar de o motivo principal da dor de dente na gravidez estar associado à maior sensibilidade da região causada pelo aumento hormonal, existem outros fatores associados ao problema.

A presença de uma cárie e da hiperacidez bucal (provocada pelos vômitos frequentes), por exemplo, são outras possíveis causas, principalmente quando a higiene bucal não é realizada da maneira adequada.

A gengivite — inflamação que causa sangramentos ao escovar os dentes e que surge em decorrência do alto nível de progesterona em uma mulher grávida — também é um agente causador, assim como o dente siso, que causa inflamação gengival, dor de cabeça e dor de ouvido.

Ainda é possível citar a presença de um dente quebrado (que contribui com a dor provocada pela sensibilidade ao entrar em contato com alimentos frios ou quentes) e de um abcesso, que é uma infecção da gengiva ou do dente que gera inchaço bucal.

2. Como ocorre o tratamento?

O tratamento é definido de acordo com a causa do problema. Por isso, ao sentir um incômodo permanente, é importante ir a um dentista e identificar o que causou a dor.

Em geral, a utilização de anestésicos específicos, a realização de bochechos, a aplicação de gelo e o uso de produtos dentais (como enxaguantes, creme dental e fio dental) são maneiras comuns de tratar a dor.

É importante mencionar que, além de identificar a causa do problema e orientar o paciente em relação aos procedimentos que devem ser feitos, o profissional também trata outras ocorrências capazes de prejudicar a saúde de uma gestante. Realizar obturações e tratamentos de canal, extrair dentes e fazer limpezas são exemplos.

3. Qual é a maneira de prevenir a dor?

Existem medidas que ajudam a prevenir o problema e evitar as incômodas dores. Entre as mais eficazes, vale citar:

  • frequentar um consultório odontológico periodicamente para garantir que a saúde bucal está em dia, como veremos adiante no artigo;
  • manter um acompanhamento médico durante a gestação;
  • utilizar escova de dente macia;
  • realizar a higiene bucal adequadamente;
  • fazer o uso de fio dental fluoretado;
  • evitar bochechos com soluções que contenham álcool.

Dicas de saúde bucal para evitar a dor de dente na gravidez

Caprichar bem na higiene dental e na escovação é fundamental para todos, inclusive, para as futuras mães. Sendo assim, para prevenir a dor de dente na gravidez e outras complicações, é preciso escovar bem os dentes regularmente, utilizando sempre creme dental com flúor.

As grávidas que ainda estão no primeiro trimestre, no qual os enjoos se fazem mais presentes, podem optar por pastas menos agressivas, ou seja, de “sabores” mais fracos. Os cremes de menta suave, por exemplo, costumam causar menos incômodos, embora isso varie de pessoa para pessoa.

Além das dicas de escovação, é fundamental que a gestante mantenha em sua rotina, como já apontamos, o uso do fio dental. Isso porque ele é um excelente aliado contra a gengivite, problema bastante propício a aparecer durante a gravidez. A condição provoca uma alteração nas fibras da gengiva, facilitando o acesso de bactérias que causam inflamações, sendo assim, toda a atenção é necessária.

Os bochechos com antissépticos bucais sem álcool e, para evitar desconfortos, sem sabores fortes, são também muito importantes, garantindo a redução das bactérias e uma melhor proteção dos dentes e da gengiva. Lembre-se de que, especialmente nos primeiros meses da gravidez, os enjoos acabam deixando a boca mais ácida e prejudicando o esmalte dos dentes.

4. Como aliviar a dor de dente na gravidez?

Apesar de não serem medidas capazes de eliminar completamente a dor de dente, existem processos que podem ser feitos para amenizar os sintomas. São eles:

  • aplicar sobre a região dolorida compressas frias ou cubos de gelo protegidos por um tecido;
  • ingerir analgésicos prescritos por seu médico ou dentista;
  • usar creme dental próprio para dentes sensíveis;
  • bochechar soluções de sal e água morna ou de água e algumas gotinhas de própolis;
  • ingerir infusões naturais, como de camomila, para combater inflamações na gengiva, febre e dor de dente, se o seu médico permitir.

Mesmo com os cuidados mencionados acima para aliviar o desconforto, o recomendado é que, ao menor sinal de dor, a grávida procure por um dentista imediatamente. Somente assim será possível descobrir a real causa do problema e tratá-lo de forma segura para a mãe e o bebê, em vez de apenas mascarar a dor.

5. Por que é fundamental frequentar o dentista durante a gravidez?

A verdade é que os cuidados com a saúde bucal das futuras mães vão além da prevenção da dor de dente na gravidez. Trata-se de um hábito que deve, de preferência, ser iniciado antes mesmo da gestação — nesse momento, o ideal é consultar um dentista para cuidar dos dentes, tratar quaisquer problemas já existentes e obter as orientações necessárias para o seu caso.

Em casos nos quais a gestação vem como uma surpresa, é também fundamental iniciar o acompanhamento quanto antes, de preferência entre o quarto e o sexto mês de gravidez.

Dessa forma, a grávida evita a realização de possíveis tratamentos durante o período característico de enjoos do primeiro trimestre. Além disso, não é preciso se preocupar: se necessário, é possível realizar um tratamento dentário, grande ou pequeno, durante qualquer fase da gravidez. A gestante também pode receber anestesia local sem correr riscos, evitando apenas a sedação.

Independentemente de qual seja a sua situação, é fundamental ter em mente que um acompanhamento adequado durante a gestação previne a ocorrência de vários problemas.

Uma infecção na boca, por exemplo, pode até mesmo parecer inofensiva em um primeiro momento. Contudo, a depender da condição, ela pode ser capaz de fazer com que o corpo produza mais e mais prostaglandinas — substâncias que podem promover as contrações uterinas e, consequentemente, provocar o nascimento prematuro do bebê.

Agora que você já sanou algumas das suas principais dúvidas sobre a dor de dente na gravidez, fique atento aos sinais e evite que o problema aconteça com você ou com algum membro da sua família. Prevenir dores também é uma maneira de manter o sorriso bonito, aumentar o bem-estar e ter a saúde bucal em dia.

Gostou do artigo e quer saber como é possível fazer consultas frequentes com o dentista durante a gravidez? Então, veja como um plano odontológico sem carência pode ser ideal para você!